Incubadora da UEL oferece suporte para empreendimentos inovadores

0

Empresas com negócios na área tecnológica podem ser beneficiadas. Intuel tem inscrições abertas para seleção de 4 empreendedores

Capacitação, infraestrutura, cursos de gestão e acompanhamento durante o desenvolvimento estão entre os benefícios oferecidos pela Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica (Intuel), da Universidade Estadual de Londrina (UEL), no norte do Paraná.

A incubadora é uma alternativa para quem tem uma ideia inovadora de negócio na área de tecnologia, mas pouca experiência no mercado.

"É como se fosse uma incubadora de bebê. Quando ele nasce, precisa de um ambiente de apoio pra crescer, assim como as empresas que estão começando", compara Tatiana Fiuza, gerente da Intuel. Ela explica que, além de ajudar no início dos empreendimentos, o objetivo é dar suporte para que as empresas tenham sustentação no mercado.

Para Fiuza, o desenvolvimento de negócios tecnológicos inovadores pode gerar produtos de alto valor agregado e ajudar a diversificar a economia. "As empresas incubadas podem continuar pequenas, mas ter um impacto muito grande na economia, além de trazer benefícios para a população e para outras empresas", explica.

A incubadora fornece o suporte e apoio no desenvolvimento do negócio e, segundo a gerente, o ambiente também permite troca de experiências entre os empresários participantes.

Atualmente, nove empresas estão incubadas na Intuel. Juntos, os negócios somam R$ 1,6 milhão e geram 55 empregos, de acordo com números da própria incubadora.

Ideia em desenvolvimento - A história do aplicativo Beer App, que reúne e compartilha preços de cervejas na cidade de Londrina, ainda está no começo. Incubada desde dezembro de 2015, a ideia surgiu em agosto do ano passado, durante um evento para startups – empresas novas que, com baixo custo e pouco tempo, têm soluções ou produtos inovadores – realizado na cidade.

beer_app

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fernando Rocha é sócio da empresa que desenvolve o aplicativo Beer App (Foto: Arquivo Pessoal/Fernando Rocha)

Fernando Rocha e dois sócios pretendiam fazer um aplicativo que possibilitasse a pesquisa dos melhores preços de produtos nos supermercados, mas durante o desenvolvimento do projeto, a partir do conhecimento adquirido e de sugestões de outros empreendedores, resolveram investir em apenas um produto.

"Decidimos focar e aproveitar que Londrina tem um público apaixonado por cerveja", conta Rocha.

O empresário diz que o objetivo do Beer App é proporcionar mais momentos entre amigos e ajudando o usuário a ter maior poder de compra. Mas ele ressalta que a intenção não é estimular o consumo excessivo de álcool.

O aplicativo permite que os próprios usuários compartilhem os preços e criem listas das cervejas favoritas para pesquisas rápidas. Informações como histórico de preços e endereços dos pontos de venda também estão disponíveis.

Em teste desde julho, 400 pessoas já baixaram o programa. “Esse período é pra gente ouvir o usuário, receber o feedback e conseguir implementar as mudanças mais rápido”, explica Rocha.

O empresário conta que a incubadora fornece uma base de conhecimentos e um suporte em diferentes áreas, como a jurídica, contábil e marketing.

“A gente tem que se preocupar com a parte de executar o projeto, porque nas outras áreas que a empresa precisa ter suporte para funcionar, eles [da Intuel]ajudam”, comenta.

A expectativa é de que até o fim do ano a versão definitiva do aplicativo esteja disponível para os usuários. Depois do lançamento oficial, eles pretendem atuar em outros segmentos, usando a experiência adquirida com o Beer App.

Usuário - O empresário Lucas Teixeira, de 32 anos, conheceu o aplicativo por meio de um colega. Ele gostou da experiência e cita dois benefícios da ideia: identificar o ponto de venda de uma determinada cerveja e identificar o local onde o produto está com o melhor preço.

“Já usei bastante pra comprar cerveja pra mim mas, recentemente, precisei comprar cerveja para um evento e a economia que o aplicativo que me proporcionou valeu muito a pena”, relata.

Teixeira percebeu que, na fase de testes, o produto tem melhorado a usabilidade. Para o empresário, “uma coisa bacana é poder enviar o valor da cerveja. Eu saio do mercado, tiro a foto da nota e já mando para poder colaborar com o pessoal”.

Histórico - Das empresas graduadas na UEL, que já saíram da fase de incubação, oito seguem no mercado. A Intuel foi inaugurada em 2000 e incorporada à Agência de Inovação Tecnológica (Aintec) em 2008, mas sua história começou com o Projeto Gênesis, em 1997.

arandu

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Equipe atual da Arandu Sistemas, empresa que surgiu na universidade com apoio do projeto precursor da Intuel (Foto: Arquivo Pessoal/Chrystian Scanferla)

Foi em 1997 que Chrystian Scanferla e Cristiana Yumi Scanferla, que eram estudantes do último ano de ciências da computação, entraram para o programa. “Na época, apresentamos dois projetos, e não tocamos nenhum deles”, lembra Chrystian.

Os dois usaram o recurso de uma bolsa, ofertada na época, para fomentar o negócio, que começou nos laboratórios do projeto. Depois de um ano no projeto e mais um ano de incubação, surgia a Arandu Sistemas, do setor de tecnologias da informação e da comunicação.

A empresa comercializa um software próprio de gestão para o comércio varejista, e atende clientes em todo o Brasil.

Chrystian afirma que o projeto de incubação foi muito importante para a empresa. “Primeiro pela capacitação empresarial – nas áreas de gestão, marketing, controle – e, em segundo lugar, porque dali surgiu uma rede de relacionamentos que continua crescendo até hoje e que é mantida”, explica.

Após o período de incubação, o empresário conta que ele e a sócia continuaram participando de cursos de capacitação e feiras ofertados pela Intuel.

Como funciona - O período de incubação é de dois anos, prorrogáveis por mais dois. O programa tem duas modalidades: residente, quando a empresa usa o espaço físico da incubadora, e não residente, quando o negócio recebe treinamentos e assessoria, para ajudar no planejamento e monitoramento da empresa.

O modelo de gestão adotado pela Intuel é o Cerne, desenvolvido por meio de uma parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), com objetivo de promover um crescimento saudável e contínuo, tanto da incubadora, quanto das empresas incubadas.

Seleção - A incubadora está com inscrições abertas para a seleção de quatro empreendimentos inovadores de base tecnológica. Os interessados têm até sábado (1º) para se inscrever no site da Intuel. O edital completo está disponível no site da (Aintec) da UEL.

Podem concorrer empresas de base tecnológica com potencial inovador, que atuem nos setores de tecnologia da informação e da comunicação, design, automação, biotecnologia, bens de consumo e indústria.

O processo seletivo será dividido em três fases: preenchimento de um sumário executivo online; treinamento de modelagem de negócio para a formatação de um modelo definitivo das propostas; apresentação oral da proposta para uma banca de avaliação.

intuec_1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Intuel oferece infraestrutura para o desenvolvimento de empresas inovadoras da área de tecnologia (Foto: Divulgação/AINTEC-UEL)

Fonte: G1 Paraná

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta