Registro de propriedade intelectual da Aintec aumenta 104% em 2018

0

Tendência também é observada no cenário nacional

O Escritório de Propriedade Intelectual (EPI) da Agência de Inovação Tecnológica da Universidade Estadual de Londrina (Aintec) computou, ao todo, 45 registros de propriedade intelectual no ano de 2018. O número corresponde a 104% a mais do que o calculado no ano passado, quando a Aintec realizou 22 registros. A proteção da propriedade intelectual também aumentou nacionalmente este ano, com 8,7% a mais de registros de patentes, marcas e programas de computador que em 2017. Os dados são do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Para a coordenadora do EPI, Luiza Bellotto, o aumento no número de registros de propriedade intelectual na Agência se deu por uma combinação de fatores. “Dentre eles podemos destacar o trabalho de conscientização sobre a importância dessa prática no meio acadêmico pela Aintec e a qualificação dos profissionais que trabalham na Agência, que aperfeiçoaram o serviço, inserindo qualidade e rigorosidade nas análises das patentes”, explica. 

Luiza também acredita que fomentar ações de propriedade intelectual e fortalecer o trabalho do EPI na Aintec é essencial para que novas tecnologias sejam protegidas, gerem lucro e cheguem à sociedade com a qualidade e a legalidade necessárias. “Isso se faz ainda mais importante porque a região de Londrina tem um grande potencial de pesquisa por conta da UEL e um ecossistema tecnológico forte, principalmente na área do agronegócio”, afirma.

O plano para o próximo ano é repetir o cenário de crescimento de registros de marca, programa de computador, desenho industrial e depósito de patentes – serviços oferecidos pelo EPI. “É importante que o meio acadêmico e o ambiente externo à Universidade estejam inseridos no assunto da propriedade intelectual. Uma ação essencial para isso é manter uma comunicação simples e direta com os envolvidos. A Aintec tem realizado essas ações, além de proporcionar capacitações para professores, empresários e estudantes sobre a importância de se proteger patentes, marcas, desenhos industriais e programas de computador”, reflete Luiza. 

Escritório de Propriedade Intelectual

O Escritório de Propriedade Intelectual da Aintec tem a responsabilidade institucional de viabilizar a proteção do conhecimento e os pedidos de registros das criações geradas pela UEL. Além disso, ele atende as empresas da Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica da UEL (Intuel),instituições de pesquisa, inventores independentes e empresas em geral.

O EPI também tem o objetivo de promover palestras, cursos, seminários e workshops sobre a importância da propriedade intelectual e seus conceitos, orientando os interessados na elaboração de documentos de patente, na solicitação de registro de marcas, de desenho industrial, de indicações geográficas e de programas de computador (softwares), além de acompanhar os trâmites dos pedidos de proteção intelectual e as correspondentes solicitações feitas pelo INPI.

Mariana Paschoal – assessoria de imprensa

 

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta