Programa de Transferência de Conhecimento premia iniciativa da UEL e capacita pesquisas

0

O Programa de Apoio à Propriedade Intelectual com Foco no Mercado (Prime) capacitou 17 pesquisas acadêmicas das universidades estaduais do Paraná sobre a cultura empreendedora e a transferência de conhecimento para o setor produtivo. Dos projetos capacitados, cinco foram selecionados para participar de um programa de pré-aceleração de startups, ofertado pelo Sebrae/PR.

Os resultados foram apresentados durante uma cerimônia virtual, realizada dia 26 de julho, e marcou o encerramento da 1ª edição do programa desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio de parceria entre a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Superintendência de Inovação, Fundação Araucária e o Sebrae/PR.

O professor Admilton Oliveira Deméter, da Universidade Estadual de Londrina (UEL), conquistou a segunda posição dentre os cinco projetos selecionados. A iniciativa de Deméter consiste em um estudo sobre um agente biológico para o controle de doenças de plantas. Na pesquisa, além da ação fungicida, o bioproduto obteve resultados favoráveis para o crescimento de plantas com mais vigor, além disso, também poderá ser aplicado contra o mofo branco e a ferrugem da soja.

O primeiro lugar foi conquistado pelo professor Carlos Ricardo Maneck Malfatti, da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), que desenvolveu uma cerveja artesanal a partir da utilização de alecrim do campo. Enquanto a terceira colocação ficou com a professora Mayra Gallo, da Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp), com o Bio-HiJAck, fungicida biológico para combater a ferrugem-asiática, doença da soja. Em quarto, o professor Afonso Gonçalves Júnior, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), com um filtro sustentável para descontaminação de águas e solos com base de tabaco.

Completa a lista, na quinta colocação, a estudante do mestrado em Nanociências e Biociências da Unicentro, Camila Rickli, com o Daoxi, dispositivo para o controle automatizado da oxigenoterapia (utilização de oxigénio para tratamentos médicos).

PRIME – Desde que foi lançado, em dezembro de 2020, os pesquisadores participaram de diversas rodadas de pitch (técnica utilizada para apresentação de negócios inovadores), mentorias especializadas e consultorias individuais. O programa somou quase 100 horas de capacitação com os participantes. O investimento nesta primeira edição foi de R$ 90 mil, e a expectativa é que o valor aumente para a segunda edição. Já estão reservados R$ 400 mil para todo o programa.

Reprodução:https://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=114105&tit=Estado-capacita-17-pesquisas-academicas-pelo-programa-de-transferencia-de-conhecimento-ao-setor-produtivo

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta