Paraná investe R$ 19 milhões em ciência, tecnologia e inovação

0

O governador Beto Richa assinou nesta segunda-feira (11), no Palácio Iguaçu, os contratos para o lançamento de seis chamadas públicas para projetos de pesquisa da Fundação Araucária, vinculada à Seti. A instituição tem estimativa de financiar mais de 300 bolsas e cerca de 400 projetos de diversas áreas, com investimentos de mais de R$ 19 milhões. Os editais devem ser abertos até o final de abril.

“O Paraná se coloca em posição de destaque no cenário nacional e, na contramão da crise financeira, mantém o apoio a projetos de pesquisa e inovação”, afirmou o governador. “Nossas universidades e institutos de pesquisa podem contar com o apoio irrestrito do Estado, pois entendemos que os investimentos nas áreas de ciência, tecnologia e inovação são fundamentais para um desenvolvimento sustentável do Paraná”, ressaltou Richa.

As chamadas públicas estão relacionadas a seis programas: de pesquisa para o Sistema Único de Saúde/PPSUS; de apoio a núcleos de excelência; de apoio à organização de eventos das associações ou sociedades técnico-científicas e institutos de pesquisa; de pesquisa em zika vírus, chikungunya e dengue no Estado do Paraná e de pesquisa básica e aplicada para todas as áreas do conhecimento. Também serão destinadas bolsas de Produtividade em Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico/Extensão.

Poderão participar dos editais estudantes, professores e pesquisadores de instituições de ensino superior públicas e privadas sem fins lucrativos, tanto estaduais como federais, e de institutos de pesquisas sediados no Paraná. O presidente da Fundação Araucária, Paulo Brofman, destacou que a proposta da instituição é fomentar a pesquisa e a inovação no Paraná. “Estas chamadas são bastante significativas para as pesquisas básicas e aplicadas, pois dão um grande impulso para nossas universidades e institutos de pesquisa”, disse.

“Destacamos as chamadas para a área da saúde, com um edital específico para pesquisas sobre zika, dengue e chikungunya, e outro, em parceria com o Ministério da Saúde, que visa as políticas públicas de saúde no Paraná e também dará enfoque a estas doenças”, explicou.

COMPROMISSO – Desde 2011, a instituição destinou R$ 383 milhões em 113 chamadas públicas para projetos de pesquisa. Foram 3.982 projetos apoiados e 18 mil bolsas financiadas, desde estudantes do ensino médio até alunos do pós-doutorado. Do total de recursos, R$ 220 milhões são próprios do Estado e R$ 163 milhões provêm de parcerias com outras instituições.

Para o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, isso demonstra o compromisso do governo estadual com a pesquisa e inovação. “Enquanto muitos estados estão com muitas dificuldades para manter seus programas, no Paraná nem um programa na área de pesquisa e inovação foi paralisado”, afirmou. “É um momento importante para nossas universidades e institutos e também para o setor produtivo, que apoiam o desenvolvimento de pesquisas. A Fundação Araucária vem se destacando cada vez mais pela seriedade e competência pela qual sua gestão é norteada”, disse Gomes.

Aldo Nelson Bona, reitor da Universidade Estadual do Centro-Oeste e presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp), ressaltou que a abertura das chamadas é um incentivo para as universidades em um momento em que outras instituições de apoio à pesquisa suspendem seus editais. “É muito importante que a Fundação Araucária consiga manter o compromisso com os editais já andamento e também abrir novas chamadas, o que dá um ânimo para a área de pesquisa no Estado”, declarou. “Hoje vivemos um contingenciamento dos editais nacionais, uma série de programas teve suas atividades interrompidas. Isso vai gerando um clima de desconfiança da comunidade científica e uma dúvida sobre a continuidade dos projetos em andamento”, afirmou Bona.

ATENÇÃO À SAÚDE – O Programa de Pesquisa para o SUS (PPSUS) é desenvolvido em parceria com o Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde (Decit) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O objetivo é selecionar propostas de pesquisa que apoiem a execução de projetos que buscam a promoção da formação e a melhoria da qualidade de atenção à saúde no Paraná, no contexto do SUS.

Os projetos terão um prazo de 24 meses e devem contribuir para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação em saúde. Os recursos do programa totalizam R$ 5 milhões e devem apoiar 50 projetos, oferecendo mais de 65 bolsas. Ainda dentro da área da saúde, a Fundação Araucária também abre chamada para apoiar atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação de projetos que visem o desenvolvimento de evidências científicas para o diagnóstico, prevenção, combate e o tratamento eficaz das três arboviroses – zika vírus, febre chikungunya e dengue. Serão financiados 10 projetos e 10 bolsas, totalizando um recurso de R$ 1 milhão. Os projetos devem ser realizados no prazo de 24 meses.

NÚCLEOS DE EXCELÊNCIA – O Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex) oferece suporte financeiro aos trabalhos dos grupos de pesquisas com excelência reconhecida. É desenvolvido pela Fundação Araucária em pareceria com o CNPq. Serão financiadas propostas no valor máximo de R$ 500 mil, sendo 60% do valor a ser aplicado em custeio e 40% em capital. A estimativa é que o programa apóie quatro projetos e ofereça 10 bolsas, com recurso total de R$ 2,17 milhões. Os projetos terão o prazo de 48 meses para realização.

EVENTOS CIENTÍFICOS – Eventos relacionados à ciência e tecnologia, nas diversas áreas de conhecimento, podem contar com o apoio financeiro da Fundação Araucária a partir do Programa de Apoio à Organização de Eventos das Associações ou Sociedades Técnico-Científicas e Institutos de Pesquisa. Os eventos destinados ao intercâmbio de experiências entre pesquisadores e a divulgação dos resultados de seus trabalhos devem ser promovidos dentro do Estado do Paraná entre os meses de agosto e dezembro de 2016. Serão financiados 10 projetos, totalizando um valor de R$ 200 milhões. Já o Programa Institucional de Pesquisa Básica e Aplicada tem como objetivo promover o fortalecimento institucional da produção científica, tecnológica e de inovação com o apoio financeiro a projetos de pesquisa nas diferentes áreas do conhecimento. A estimativa é de financiar 240 projetos e 100 bolsas, totalizando R$ 8,55 milhões.

BOLSAS DE PRODUTIVIDADE – Pesquisadores que se destacam entre seus pares são o público alvo da chamada pública para Bolsas de Produtividade em Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico/Extensão. O objetivo é apoiá-los financeiramente, valorizando o desempenho de profissionais qualificados, o que é fundamental para que a produção e a difusão do conhecimento científico, desenvolvimento tecnológico e sociocultural sejam ampliados e fortalecidos no contexto estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). A estimativa é de financiar 120 projetos e 120 bolsas, destinando R$ 2,88 milhões. 

(Fonte: SETI – 12/04/2016)

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta