Entidades pedem em carta resolução urgente da crise na CT&I e no ensino superior

0

A Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (ABIPTI), junto a mais oito entidades representativas das comunidades científica, tecnológica e acadêmica brasileiras e dos sistemas estaduais de ciência e inovação, enviaram na última terça-feira (29) uma carta ao presidente da República, Michel Temer. No documento, avisam que o Brasil corre “o risco de sofrer uma grande diáspora científica”.
“É muito grave a situação da ciência e tecnologia e das universidades públicas no país”, afirmam as entidades, ao lembrar que o contingenciamento de recursos para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em 2017, incidindo sobre orçamentos já muito reduzidos em relação aos de anos anteriores, produziu uma drástica diminuição nas verbas para o setor. A carta descreve a crítica situação da ciência, tecnologia e inovação (CT&I) e da educação superior no Brasil e pede a resolução urgente dos problemas apontados.

O documento traz um alerta ao presidente e demais autoridades governamentais, bem como aos parlamentares e toda a população brasileira sobre os riscos que a enorme redução, de quase 50%, dos recursos para CT&I e para a educação superior pública traz para o país. “Essa falta de recursos põe em risco, ainda, o funcionamento dos institutos de pesquisa do MCTIC e de outros ministérios, instituições fortemente estratégicas, estranguladas a ponto de terem sua existência ameaçada, alijando o estado brasileiro de instrumentos essenciais para qualquer movimento de recuperação da economia nacional.” 

A carta ressalta, entre outros pontos, que universidades e institutos de pesquisa encontram-se em estado de penúria, com o sucateamento de laboratórios e unidades de pesquisa, a diminuição e mesmo a possibilidade de interrupção na concessão de bolsas, a proibição de novos concursos e a ausência de recursos essenciais para a pesquisa científica e tecnológica.

“Vivemos o risco de sofrer uma grande diáspora científica, com a evasão de cérebros altamente qualificados, formados com recursos públicos, para países mais avançados que veem na C&T um instrumento essencial para o desenvolvimento econômico e para o bem-estar social”, advertem as entidades, e acrescentam que o investimento em CT&I é essencial para garantir o aumento do Produto Interno Bruto (PIB) em períodos de recessão econômica.

Além da ABIPTI, assinam a carta a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a Academia Brasileira de Ciências (ABC), a Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), a Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), o Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência e Tecnologia (Consecti), o Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec) e o Fórum Nacional de Secretários Municipais da Área de Ciência e Tecnologia.

A carta completa está disponível aqui.

Fonte: Agência ABIPTI, com informações do Jornal da Ciência

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta