Crowd Londrina encerra 1º ciclo de pré-aceleração

0

Parceria universidade-empresa para inovação aberta traz apoio a startups

O primeiro ciclo de pré-aceleração do Crowd Londrina foi concluído neste mês e o saldo foi positivo para todos os envolvidos na iniciativa. As equipes da Incubadora Internacional de Empresas de Base Tecnológica da Universidade Estadual de Londrina (Intuel), do Sebrae e da Telefónica Open Future se reuniram no dia 10 na Agência de Inovação Tecnológica da UEL (Aintec) para apresentar o balanço e receber feedbacks deste programa de pré-aceleração pioneiro em Londrina.

“O objetivo do Crowd Londrina é ajudar as empresas a identificar suas necessidades para que elas evoluam. O trabalho com universidades e parceiros ajuda a fortalecer o ecossistema empreendedor local e com nosso projeto, sentimos a evolução dos negócios”, comenta Renato Valente, country manager do Programa Telefónica Open Future.

As quatro empresas que passaram pelo processo de pré-aceleração foram a Real XD, a Inside Places, a Tad Target e a InSoccer. Todas entraram no Crowd em agosto de 2016 na fase da ideia. Das quatro, três finalizaram o programa: as duas primeiras fecharam o ano na fase de ganhar escala e a terceira na fase de tração – as duas etapas finais de desenvolvimento do programa.

“O Crowd Londrina nos permitiu uma oportunidade incrível de melhorar e pivotar o nosso projeto, além de todo o networking que nos foi apresentado”, comemora Luiz Antônio Monteiro, da Real XD.

Segundo Luis Lopes da Inside Places, o Crowd foi além da rede de contatos: “o programa nos ajudou a compreender os processos de mercado e também nos forneceu apoio tecnológico e conhecimento necessários para crescer”, justifica.

Para Tadeu Gaudio, da Tad Target, além de todas essas vantagens, o programa foi fundamental para o desenvolvimento da maturidade da equipe. “O programa deu a estrutura que a gente precisava para transformar a ideia em empresa e para nos transformar em empreendedores”, afirma.

Potencializar as oportunidades de empreendedorismo e as conexões entre empresas nascentes de Londrina com empresas globais é o que faz o Crowd ser tão importante para a região, na opinião do consultor do Sebrae, Fabrício Bianchi. “A contribuição deste primeiro ciclo foi uma mudança radical de aproximação com empreendedores que podem potencializar as iniciativas empreendedoras na região e atender as demandas da Telefónica”.

O papel da Intuel no Crowd Londrina

Parceira da Telefónica e do Sebrae na iniciativa, a Intuel exerceu um papel fundamental no desenvolvimento do programa ao trabalhar no dia a dia das startups, trazendo conteúdos e mentores para seu desenvolvimento. Isso tudo somado ao acompanhamento da Telefonica Open Future. 

O diretor da Agência de Inovação Tecnológica da UEL (Aintec), Edson Miura, ressalta que iniciativas como o Crowd Londrina são muito importantes para fortalecer o ecossistema da região na área de tecnologia. “Um espaço de fomento à inovação, como o Crowd, permite que as empresas cresçam de maneira mais rápida e sustentável. Além disso, elas ganham todo o potencial para adentrar o mercado mundial que o Telefónica Open Future oferece”, afirma Miura, que concorda que o saldo desta edição do programa foi positivo tanto para as empresas, quanto para a Intuel e a cidade.

Crowd Londrina

O Crowd Londrina é um espaço do Telefónica Open Future, programa de incentivo ao empreendedorismo e à inovação aberta do Grupo Telefónica, em parceria com a Agência de Inovação Tecnológica da UEL (Aintec), por meio da incubadora Intuel, e o Sebrae Paraná. Para mais informações sobre o programa, acesse o link: www.openfuture.org.

Telefónica Open Future_

Telefónica Open Future_ é o programa global de inovação aberta do Grupo Telefónica, que detém no Brasil a marca Vivo.  A iniciativa faz parte do esforço corporativo e empreendedor da empresa de mantê-la conectada com o que existe de mais avançado em termos de inovação dentro de sua estratégia de transformação digital. O programa tem o objetivo de promover o crescimento de talentos com ferramentas de aceleração, englobando iniciativas como a Wayra, aceleradora de startups, o fundo de investimento Amerigo e espaços de crowdworking para projetos em fase inicial de desenvolvimento, implantados por meio de parcerias público-privadas. 

Mariana Paschoal – assessoria de imprensa

 

Compartilhe.

Deixe Uma Resposta