Acordo de cooperação garante pesquisa de desinfetante à base de Melaleuca

0

Dirigentes da Agência de Inovação Tecnológica (Aintec) da UEL oficializaram nesta quinta-feira (26) acordo de cooperação técnico-científica com a empresa Foreign Trade Alliance (FTA) - Aliança do Comércio Exterior – para o desenvolvimento de um novo ativo sustentável que possa ser usado como base para saneante. Pelo acordo oficializado na Aintec, a empresa deverá fornecer matéria-prima, óleo de Melaleuca, planta de origem australiana, com características antissépticas, indicada para uso doméstico e para a área da saúde. O acordo também prevê o custeio de uma bolsa de estudos, por meio da Fauel.

A pesquisa será realizada pela mestranda Briani Gisele Bigotto, orientada pelas professoras Audrey Stinghen Garcia Lonni, do Departamento de Ciências Farmacêuticas e Sueli Ogatta, do Departamento de Microbiologia, nos laboratórios do Centro de Ciências Biológicas (CCB) e do Centro de Ciências da Saúde (CCS).

O projeto intitulado "Desenvolvimento de formulação saneante contendo óleo essencial de Melaleuca orgânico, como nova alternativa de produto mais eficiente e menos tóxico" começou a ser desenvolvido há cerca de oito meses, a partir de negociações entre pesquisadores da UEL e a FTA. Segundo a professora Audrey, o óleo de Melaleuca representa um produto não tóxico e natural que pode ser utilizado em substituição ao cloro na fabricação de desinfetantes. O cloro é considerado um bactericida eficiente, mas que oferece riscos à saúde e ao meio ambiente.

"Estamos desenvolvendo um produto inovador, uma alternativa natural para ser usada como desinfetante", definiu a professora. Segundo ela, o potencial de mercado é enorme, uma vez que este tipo de produto, utilizado largamente para limpeza, usa invariavelmente o cloro como base.

Parceria - A FTA tem sede em Londrina e trabalha com óleos essenciais, inclusive importando materiais. Segundo uma das sócias da empresa, Flávia Stringer Garcia Cid, há algum tempo eles procuravam parceiros para o desenvolvimento de produtos inovadores nas áreas farmacêutica e aromaterapia.

A professora Sueli Ogatta informa que o produto está em fase de desenvolvimento. Não dá para prever um prazo exato para a conclusão da pesquisa, que depende de várias etapas, desde os testes para validação até as aprovações e licenças por parte dos órgãos governamentais que controlam o mercado de saneantes. Ela adianta que o óleo de Melaleuca sozinho tem efeito antimicrobiano. O trabalho pretende incorporar essa matéria-prima, gerando uma patente de desinfetante à base de melaleuca.

Segundo o diretor da Aintec, professor Edson Miúra, o acordo estabelecido entre a FTA e a UEL, por meio da Agência de Inovação, deverá trazer um benefício à sociedade, oferecendo uma nova alternativa de produto, com características sustentáveis, que poderá ser utilizado em limpeza doméstica e no ambiente hospitalar, um mercado bastante amplo. Ele explica que para a Universidade o acordo é importante na medida que representa o financiamento de uma pesquisa que pode gerar royalties, que posteriormente serão revertidos à própria instituição como pagamento pelo capital intelectual.

Fonte: Agência UEL 
Compartilhe.

Deixe Uma Resposta